Receba a revista por e-mailSiga-nos no TwitterAssine o RSS
publicidade
Serviços
Como ser lido

10 tópicos sobre como ser lido, que é o que importa

Para ser lido, é preciso fazer com que o leitor saiba do texto. A revista provê visibilidade, mas por que se contentar apenas com esse recurso? Cabe a você extrair toda a potência do seu texto. Um texto pode ser ponte, aprendizado, produto.

1. Um texto pode ser ponte na medida em que serve para interagir com os interessados pelo tema, que são, em um primeiro nível, os leitores, mas também podem ser outros autores, articulistas, blogueiros, jornalistas, pesquisadores que trataram do assunto. Apresente, por email mesmo, seu texto aos que possam ter interesse. Puxe conversa, crie discussões, conheça pessoas. Quando se torna conversação, o texto é uma ferramenta de networking, uma potencial criador de contatos profissionais.

2. É daí também que surge a ideia de aprendizado a partir do texto. É preciso convir que não esgotamos nenhum assunto em um artigo, e há uma miríade de formas de enxergar o tema, de abordá-lo, de aprofundá-lo. Procurando por essas outras formas, além de diversificar seus leitores e conhecer pessoas interessadas, você acaba saindo da sua visão inicial e, digamos, limitada, para uma em que considere outros ângulos. É interessante pensar um texto como um passo dado. E que há outros e inúmeras direções que podem ser seguidas.

3. As ideias de ponte e aprendizado aliadas são duas tentativas de converter o texto em benefícios intangíveis, em moedas intelectuais que são mais permanentes do que qualquer site, jornal ou revista — e que são mais fertéis que o dinheiro, já que se faz dinheiro com conhecimento e criatividade, mas geralmente não se vê o oposto. Pode haver outras formas de tornar o texto neste tipo de bem abstrato. Se vocês tiverem ideias, compartilhe, e tornaremos esse manual mais amplo e eficiente.

4. Um texto também é um modo de atrair atenção para você, para sua habilidade como profissional e para um produto ou serviço que você tenha a oferecer. Se usá-lo das formas citadas antes, como ferramenta, ele fatalmente será uma propaganda sua. E daí podem surgir propostas ou oportunidades comerciais. Cada texto que escreve para a revista, com sua bio e seus links, gera tráfico e destaque nas ferramentas de busca para o seu site e consequentemente para seu produto.

5. Você também pode pensar em produzir um número extenso de artigos ao longo do tempo e reuni-los em um livro, que pode ser sugerido a uma editora convencional ou pode ser editado e colocado a venda por você mesmo, em uma editora que faça impressão por demanda. De forma orgânica, sem esforço intenso, em alguns meses, e aprendendo e interagindo ao longo do tempo, você produz uma obra. E será, mais do que o lucro que isso possa trazer, um meio de estabelecer ainda mais autoridade como profissional e, assim, mais atenção a você e seu produto.

6. Além das considerações anteriores, pensando a divulgação da forma mais usual, nós temos uma série de ferramentas para ajudar seu texto a ser conhecido. Amplie seu número de seguidores no Twitter: assim seus textos terão mais alcance. Inicie discussões em redes sociais, como o Orkut, o Facebook ou o Ning. Peça a amigos ou a meios de comunicação (ligados ao tema) que retuitem sua mensagem ou façam um anúncio no blog. Ponha um link para suas matérias recentes nos emails. E por ai vai. A capacidade de criar outros meios por si é importante.

7. Para ampliar seus seguidores e a sua permeabilidade através dos blogs, existe uma única maneira: interagir. Comente nos posts de diversos blogs, retuite mensagens de pessoas de fora do seu círculo pessoal, faça uso do #followfriday, indique textos e produções alheias nos seus meios de comunicação pessoais. Ser lido, na internet, é, em grande medida, ler muitas pessoas.

8. Principalmente, entenda que a internet muda rápido e que é preciso entender novas ferramentas, experimentá-las e estar atento às tendências. Sua capacidade de reagir ao contexto dará a medida da sua visibilidade e permeabilidade. Já pensou em qual é, ou quais são, as diferenças entre escrever para um jornal, para uma revista, para uma televisão ou para um blog? Quais são as especifidades de cada meio, qual é o tipo de leitor que cada uma abrange, quais são as possibilidades e limitações que terá? Muita gente usa blog como se usasse mimeográfo.

9. Os tópicos anteriores passam rápido por uma série de assuntos, mas não detalham, não falam de casos, tudo fica muito solto e pouco argumentado. Abaixo, sugiro alguns blogs e sites cuja leitura ampliará imensamente tudo o que foi dito aqui, irá citar outros temas inesperados e, quem sabe, corrigirá alguma coisa também:

http://webworkerdaily.com/
http://www.sulfurico.com.br/
http://www.problogger.net/
http://thefuturebuzz.com/


É evidente que esses são só alguns. Indique os seus!

10. Por fim, tenha absoluta certeza da relevância do seu texto. Esteja informado sobre o que se discute na área. Amadorismo, erros conceituais, falta de revisão, repetição do que todos sabem, requentamento de texto, tudo isso corrói qualquer tentativa de divulgar, qualquer interação. No fim das contas, um texto bom achará seu lugar, a despeito de tudo: seu texto é simples o bastante para atrair a atenção do leigo e suficientemente aprofundado para manter o interesse do especialista?

Comentários
Expediente | Envie seu Texto | Coloque um banner em seu blog