Receba a revista por e-mailSiga-nos no TwitterAssine o RSS
publicidade
Artes
[Crônica] 19 Letras

'Fui olhando as palavras nas placas que encontrava pelo caminho. Tinha sete anos de novo'

Certa vez, quando andava de ônibus, um senhor sentado ao meu lado me cutucou e disse:

- Que palavra grande, né? - e apontou para um cartaz publicitário, desses que são colados no vidro que fica ao lado da catraca.

Olhei a tal placa. 'Não deve ser ‘cursos’' – pensei. Era curta demais. Era a palavra do lado. Ia contar as letras pra ver, mas ele disse antes:

- Dezenove letras!

Contei. Só pra ter certeza. E era mesmo.

Lembrei da época que eu me impressionava com as letras. Tinha uns sete anos, por aí. Já sabia ler e escrever, mas só então começava a me atentar para as palavras mesmo: sua estrutura e sonoridade. Coisa que aos quatro, cinco anos, quando minha mãe me fazia ler a cartilha 'Caminho Suave' para juntar as letras 'l-u-a' e formar uma palavra com elas, jamais havia reparado.

Uma vez tinha ficado impressionada com 'paralelepípedo' - 13 letras. Era um palavrão pra quem mal conhecia as palavras. Depois fui descobrindo outras maiores, até que o 'anticonstitucionalissimamente' - 29 letras - desbancou pra sempre o 'paralelepípedo' e todas as outras palavras que conhecia ou viria a conhecer.

Conhecer o 'anticonstitucionalissimamente' fez com que eu deixasse de reparar as letras e começasse a me atentar às palavras e seus significados. Desejei expandir o meu vocabulário de menina para depois, deixar de fazer isso também. Passei a me atentar às frases e então aos parágrafos e, finalmente, aos textos.

Achei graça por aquele senhor ter dedicado sua atenção à palavra de (apenas) 19 letras. Ficaria ele também impressionado com o 'anticonstitussionalissimamente'? Pensei em contar pra ele da existência da palavra, mas repensei. Se eu fizesse isso, tiraria dele a magia de se impressionar com as letras, magia esta que em cinco minutos ele havia feito renascer em mim. Desisti.

Saí do ônibus e fui olhando as palavras nas placas que encontrava pelo caminho. Se sua disposição era grande eu contava letra por letra. Tinha sete anos de novo. Desejei que ele demorasse muito a descobrir o 'anticonstitucionalissimamente' e, até lá, continuasse a se divertir com as placas de ônibus que propagavam os tais cursos 'profissionalizantes' – 19 letras.


texto também publicado no blog O Pigmaleão.

Comentários
Expediente | Envie seu Texto | Coloque um banner em seu blog